quinta-feira, julho 21, 2005

27 de maio de 1926

Naturalmente optimista, nunca me senti como agora tão descrente no futuro do meu País.
O dia a dia da política, com a desgregação de um Governo com apenas quatro meses de existência, a situação económico-financeira à beira da "argentinização"de Portugal, tudo isso me preocupa e muita gente.
Para onde nos leva essa" gente" que nos governa? Não me refiro exclusivamente aos actuais mas também ao conjunto dos mentecaptos anteriores que nos estão a levar ao caos económico, político e social escapando-se depois, lestos, às funestas consequências de governações caóticas e mentirosas.Eles que escapassem mas ao menos que nos deixassem ilesos, o que não tem acontecido.
Que pensar, que fazer? A mente vem sistematicamente os tempos da dita primeira República. Já só faltam as bombas e o poder na rua. Já teremos estado mais longe. Esta governação que começou aparentemente bem e com vontade, está a dar o flanco e com as manifs que se avizinham e preparam não sei o que vai acontecer.
Para entreter preocupam-se com o referendo do aborto e da Europa e projectam no papel manadas de elefantes brancos, esses, sim abortados antes do nascimento.
Quo vadis Portugal?

1 comentário:

Scotch disse...

Ilustres senhores,
Ao ver tão emotivas despedidas ao ilustre Sr. Cirrus, sinto-me ligeiramente apoquentado: partirá finalmente para Kaliningrad para comandar a libertação? Encontraram um dador compatível e vamos ter um figadozinho novo? Irá simplesmente descansar "os seus velhos ossos" de férias? Seja qual for o motivo da despedida, oxalá seja a viagem coroada de sucessos e êxitos.
Também me apoquento ao constatar o desânimo com que o venerável Sr. Vintage aprecia a situação (des)governativa do rectângulo. Não que não concorde, mas admira-me que ainda se admire. Há 30 anos que somos governados por uma pequena cáfila de ignorantes que suga tudo à sua volta, com dirigentes que toda a gente sabe que roubam enquanto podem, e apesar de todos o saberem, continuam a ganhar eleições e a sair de cara lavada. Claro que merecemos estes governos e autarcas de merda! Isto no rectângulo só lá vai com a extinção por decreto presidencial dos partidos que tiveram no governo e câmaras nos últimos 30 anos, e envio dos respectivos dirigentes para a choldra. Ou com a entregas das chaves do país a um estado civilizado que nos governe a sério. Eu francamente preferia a segunda hipótese e sugiro desde já the good Old Albion como nova Metrópole.
Last but not least, ao caríssimo Sr. Mujimbo desejo também os maiores sucessos na divulgação do seu "lusofilismo humanista". A ideia à primeira vista parece intressante, mas parte logo à partida de um princípio errado: a de que em Portugal há humanos nas elites políticas e culturais, e não uma cambada de cavalgaduras analfabetas que nunca leu, viajou ou se preocupou com algo mais do que meter umas notas ao bolso à custa da fazenda pública.
Aceitem mais um caloroso abraço detse sempre Vosso
Scotch